4 indicadores de desempenho financeiro que sua escola deve mensurar

Qualquer variação no cenário econômico impacta profundamente o funcionamento da instituição. Por isso, é preciso atenção redobrada com a parte financeira de todo empreendimento. Com as escolas, isso não é diferente.

Os indicadores de desempenho financeiro são ferramentas de gestão que demonstram a situação econômica da escola, enquanto fornecem dados para tomadas de decisões estratégicas. Por isso, se você quer entender por que acompanhar a eficiência econômica da sua empresa e de que forma você pode fazer isso, este texto é para você. Confira agora mesmo!

A importância de mensurar a performance econômica da escola

Acompanhar indicadores de desempenho financeiro faz parte de um modelo estratégico de gestão institucional. Por meio deles, o gestor avalia se o empreendimento é viável do ponto de vista econômico e se o funcionamento está equilibrado. Um desfalque financeiro desorganiza todos os setores e diminui a confiança do público na instituição.

Além disso, esses parâmetros possibilitam a identificação de pontos de melhora e permitem reavaliar gastos sem fazer cortes contraproducentes. Isso aumenta as possibilidades de investimentos inteligentes, como na expansão da estrutura física e aquisição de recursos tecnológicos.

Os principais indicadores de desempenho financeiro

Para começar a fazer esse acompanhamento, é necessário definir quais são as referências a serem mensuradas. Conheça as principais.

1. Inadimplência

É comum que toda escola tenha uma taxa de alunos devedores e, portanto, deve se planejar para isso. Contudo, em altos números, o impacto sobre o funcionamento da instituição é muito grande, impossibilitando investimentos e dificultando a manutenção do custo operacional da escola.

É essencial ter políticas institucionais para manejar os inadimplentes, como propostas para renegociação de dívidas e facilidades no pagamento, para evitar cancelamento de contratos. O ideal é que a taxa de inadimplência seja inferior a 3%.

2. Evasão

É o índice de alunos que cancelam seus contratos com a instituição e, consequentemente, geram redução de receita. Esse indicador pede que, junto dos números, seja feita uma análise qualitativa sobre os aspectos que determinam a evasão escolar: didática dos professores, abordagem de problemas disciplinares, resolução de pendências financeiras e outros que impactam a satisfação com a escola.

3. Custos fixos e variáveis

Assim como mensurar as receitas, é fundamental controlar a saída de recursos financeiros do caixa. O objetivo é ter mais previsibilidade sobre os custos fixos, já que eles são periódicos e, além disso, essenciais para o funcionamento da escola. A compra de insumos e o pagamento de funcionários estão nessa categoria, por exemplo.

Já os custos variáveis dizem respeito aos gastos que não são frequentes, são imprevistos ou têm valor flutuante, como manutenções corretivas ou pagamento de comissões. É importante que a gestão inclua essas despesas no planejamento para evitar surpresas no orçamento.

4. Rentabilidade e lucratividade

Rentabilidade é o indicador que mede a capacidade da escola de se manter funcionando, enquanto apresenta resultados positivos para investidores e sócios. É o que mensura o retorno sobre os investimentos, subtraindo as despesas. Ele ajuda a avaliar, por exemplo, qual será a taxa de captação a partir de investimentos em recursos tecnológicos. O cálculo é: lucro líquido x 100 / investimento.

Já a lucratividade é a porcentagem de lucro que a escola recebe sobre a sua receita geral, ou seja, descontando impostos e custos operacionais. Ela é calculada da seguinte maneira: lucro líquido x 100 / receita total. O ponto de equilíbrio é a receita mínima que a escola precisa para cobrir todas as despesas, sendo importante para planejar as metas e controlar os gastos.

Mensurar a saúde financeira da escola é simples e intuitivo, a partir do momento em que o gestor possui os dados de forma organizada. Por isso, é importante acompanhar alguns indicadores de desempenho financeiro escolar, que auxiliam a tomada de decisões com foco na eficiência dos processos e no bem-estar dos alunos e funcionários.

Agora que você sabe como é essencial ter informações na palma da mão, está na hora de descobrir como fazer isso. Veja também a importância dos sistemas de gestão para escolas e descubra como eles ajudarão você a ser um gestor mais eficiente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *